terça-feira, 31 de janeiro de 2012

o ciúme, filho de uma grande meretriz

Porra, estou a arder em ciúme. Não acredito nesta bosta. Não acredito. Mas porquê? Eu não quero nada com ele. Eu quero lá ter ciúme de uma sirigaita (ou como ele disse: "amiga", bastard) qualquer que ele vai levar para o tal fim-de-semana que ando à espera há meses? Mas porquê que eu não posso mandar e pôr já fim a esta palhaçada que estou a sentir arder no meu peito? A sério que nem quero o rapaz para nada. Não quero. Mas também não quero que ele a queira. Estarei doente? Estou a ficar psicótica, deve ser do estudo e da enorme quantidade de pressão de tanta coisa para fazer junta, só pode. Porque raio é que eu desejo que a menina parta uma perna e não vá, hã? Porque raio??! Porque raio é que eu já a encontrei no facebook e já lhe vi as fotos todas? Bem feita, és feia. Porque raio é que a acho uma meretriz? Será possível alguém me explicar que surto de ciúme infantil é este?

E não me venham dizer que estou apaixonada por ele, porque não estou. Não me enervem, não me enervem!

1 comentário:

Joana Duarte disse...

Amar é complicado. Muito complicado! ;) Mas vá, respira fundo. *